quarta-feira, 19 de outubro de 2016

YO-KAI Watch 2 Fleshy Souls [USA] [CIA] [Region Free] [FIX]


NYo-kai Watch 2: Bony Spirits / Fleshy Souls foi lançado originalmente no Japão dia 10 de Julho de 2014, com os nomes originais Ganso e Honke. Pouco mais de dois anos depois de seu lançamento original ele chega ao ocidente nas mesmas duas primeiras versões, prometendo uma experiência mais completa do que a do primeiro jogo.

A história se passa logo após o término do primeiro jogo, e começa quando Nate / Katie (dependendo do gênero escolhido) está dormindo. Nessa noite, duas bruxas Yokai misteriosas aparecem e roubam o relógio do personagem principal, fazendo com que ele esqueça de todas as memórias do tempo em que passou com as criaturas sobrenaturais. Nate / Katie terá então de recuperar o relógio e suas memórias e descobrirá que uma guerra entre duas facções de Yokais está acontecendo, e ela envolve tanto o passado como o futuro.


Essa é só a premissa da história do jogo, que se desenvolve bastante no decorrer do gameplay, com uma qualidade muito maior em relação ao roteiro do primeiro jogo, sendo esse novo mais sólido e fluído. A estratégia de tirar a memória do personagem principal é descaradamente uma forma encontrada de iniciar novos jogadores no mundo dos Yokais. Embora as memórias retornem logo no começo do jogo, esse é um recurso muito bem utilizado para não deixar ninguém perdido. Alguns personagens são reapresentados, mas9 mesmo já tendo jogado o primeiro jogo eu adorei essas cenas e a forma como elas foram reformuladas.

De início, nada no visual parece diferente. A cidade principal onde se passa a história ainda é a mesma, Springdale. E isso não é ruim. Os dois ou três primeiros capítulos se desenvolvem nas cinco partes enormes e abertas da cidade, onde eu pude correr livremente resolvendo side-quests, fazendo amizade com yokais e explorando bastante entre o desenvolvimento da história principal. Quem quiser pode correr pra chegar logo na parte onde novos cenários são disponibilizados, mas não aconselho isso. Springdale é enorme e é quase impossível ter explorado 100% da cidade no primeiro jogo, sem contar que, essa parte do cenário pode ser a mesma, mas nem DE LONGE os afazeres são os mesmos. A história principal, as side-quests mais complexas, os novos Yokais e muitos (são muitos MESMO) elementos dessa nova aventura dão um tom completamente novo e refrescante a esse mundo, que em momento algum me deixaram com a sensação de repetição, e que me fizeram gastar umas boas 10~20 horas antes de ir para os novos mapas.

Esses novos mapas foram uma adição incrível ao jogo. No total são mais cinco novas áreas, todas abertas e cada uma com seu charme especial, cheias de side-quests e Yokais exclusivos. San Fantastico e Harrisville são os principais novos mapas e além deles é possível se aventurar pela Excellent Tower, pela Springdale dos anos 50 e Harrisville da mesma época que, apesar de serem os mesmos lugares, são completamente diferentes. Um sistema de locomoção através de trens foi adicionado, e ele é uma das coisas mais fofas do jogo, contando com um extenso mapa de estações e viagens com duração quase real entre as áreas, nas quais vários personagens sentarão ao seu lado no trem e te presentearão com itens ou lutas. Mas calma, não é preciso passar por viagens longas toda vez que quiser ir a 10uma outra área. O sistema de teletransporte através do Yokai Mirapo está presente nesse jogo também, e assim que o jogador chegar a uma nova área é só ativá-lo e pronto, sem mais longas viagens.

Embora eu não veja como sendo o foco do jogo, outra parte importante são as batalhas. O sistema aqui é o mesmo do primeiro jogo, então quem jogou já vai estar acostumado. Para os marinheiros de primeira viagem ele pode parecer confuso. O fato de os Yokais atacarem sem qualquer comando pode causar estranheza deixando alguns desavisados mais “desleixados” achando que as batalhas sempre vão se resolver sozinhas. Ledo engano. O que aconteceu no primeiro jogo foi que muita gente teve esse pensamento, fazendo com que as batalhas se tornassem difíceis no decorrer do tempo. Mas em Yokai Watch 2 a curva de dificuldade está bem mais amena, de modo que as batalhas vão ficando mais desafiadoras bem lentamente, fazendo com que seja bem mais fácil se acostumar com o sistema. A adição do relógio “Model Zero” também trás novas possibilidades de estratégia, e tudo isso é apresentado aos poucos para que ninguém se assuste com nada e se habitue facilmente.

Outro grande destaque é a quantidade de novos Yokais presente. Mais de 100 novas criaturas estão presentes no jogo, totalizando quase 450 Yokais que podem ser encontrados durante toda a jogatina. Como o jogo possui até o momento duas versões (uma terceira, Shinuchi, foi lançada no Japão mas ainda não chegou aqui), alguns Yokais são exclusivos da Fleshy Souls e outros da Bony Spirits, e aí é que entra uma das funções de interação entre as versões: muito esperada pelos jogadores do primeiro jogo, finalmente é possível trocar Yokais online ou localmente, além é claro, de batalhar. O sistema de trocas flui perfeitamente, sem erros de11 conexão, podendo ser ativado em qualquer mapa que não seja dungeon, e sem lenga lenga de ter que esperar o colega confirmar ações para a troca continuar. É simples, rápido e extremamente eficiente.

Ainda falando sobre os Yokais, uma das mudanças que mais me chamou a atenção nesse jogo é a forma com a qual eles aparecem. Aqui, além das duas formas tradicionais de serem encontrados (em cantos das cidades e nas dungeons), muitas criaturas específicas (algumas raras inclusive) estão invisíveis pelo mundo, e podem oferecer ao jogador uma batalha com uma chance por dia de conseguir a medalha. Era algo já presente timidamente no primeiro jogo, mas a quantidade de vezes em que andei pela cidade e meu relógio indicou com uma interrogação que tinha um Yokai parado ao meu lado foi infinitamente maior.

Também é legal notar o quanto as side-quests se desenvolveram nesse jogo. Eu amei elas e fiz todas no primeiro jogo, e nesse segundo elas estão um pouco mais longas, inteligentes e muito engraçadas. Além disso, algumas fazem uso das dungeons do primeiro jogo, um modo perfeito de utilizá-las, tornando-as opcionais. É difícil escolher entre colocar em dia a sua lista de aventuras paralelas ou continuar a principal, pois o empenho colocado em cada detalhe das duas é grande, de modo que qualquer missão acaba sendo gratificante. Uma pequena diferença é que algumas side-quests mais importantes (cerca de 3 por cada capítulo) acabaram se tornando “key quests”, e a realização delas é obrigatória para que a história possa prosseguir. Tudo que acontece nelas faz parte da história principal, e essa classificação como key-quests é mais uma forma de organizar melhor o desenvolvimento primário. Explico 12melhor: aumentar o rank do seu watch, conseguir uma bicicleta ou ajudar um Yokai importante pra história são key-quests. No meio dos capítulos elas são disponibilizadas e podem ser feitas na ordem desejada, dando assim uma liberdade muito maior ao jogador para transitar e realizar outras tarefas simultaneamente.

E essas tarefas são inúmeras. Foram várias as vezes em que me peguei cheio de “compromissos” dentro da história, um mais legal e empolgante que o outro, fazendo com que o objetivo principal do jogo seja só mais um dentro daquele universo de coisas pra fazer. Inclusive não é exagero nenhum dizer que o jogo só começa após o término da história principal, pois a quantidade de afazeres só aumenta. Só pra exemplificar, a quantidade de chefes que são desbloqueados após o final da história principal é maior do que durante. Inclusive é legal destacar que dessa vez temos uma lista de troféus dentro do próprio menu do jogo. São ao todo 80 troféus, e o sistema funciona exatamente como o do Playstation, por exemplo. Completou a ação, uma notificação pula na tela e você pode ir verificar qual objetivo alcançou.

Uma atração a parte do jogo e que merece um grande destaque é o sistema de multiplayer local, o Yo-kai Watch Blasters (Busters, no original). Disponível como uma opção no menu principal, em Blasters o jogador e mais 3 amigos podem se unir, escolher dentre 4 classes de Yokais e sair pelo mapa durante a “Terror Time“, derrotando Onis e coletando Orbs, com batalhas focadas na ação em tempo real. É um modo super divertido que prolonga ainda mais a vida do jogo (que já é enorme) e aumenta a interação entre jogadores locais. Ele fez tanto sucesso no Japão que ganhou seu próprio jogo a parte com três versões, e que estamos torcendo pra que chegue logo por aqui!

E embora algumas novidades sejam mais significativas que outras, todas merecem destaque. O jogo também trás um mini-game de corrida de bicicletas, um de comer comidas parecido com jogos rítmicos (!!!), algumas salas escondidas por todos os mapas nas quais acontecem diversas situações aleatórias e os baffle boards, locais onde alguns yokais específicos precisam ser invocados para que o jogador possa obter alguns benefícios, que incluem inclusive uma chance extra no crank-a-kai por dia!

São tantos pequenos detalhes novos que se eu fosse listar um por um aqui teria de fazer uma análise em duas partes. Eu achava o primeiro jogo completo já, mas depois de terminar Fleshy Souls eu não consigo imaginar Yo-kai Watch de outro jeito. Cada pequena novidade foi bem vinda e encaixou muito bem no jogo. Dá pra ver que os desenvolvedores tiveram todo o cuidado para adicionar elementos divertidos e que rendem uma longa jogatina.

Yo-kai Watch 2 é o início da franquia em sua melhor forma. Além de todos os elementos mais que positivos já citados, é legal notar o quão mais próximos os personagens estão de suas personas no anime. O humor está melhor que nunca, e tem piada até no último chefe! Destaque inclusive pra paródia mais do que engraçada de Star Wars!

Não importa se você jogou ou não o primeiro jogo da série; não deixe de jogar Yo-kai Watch 2. É algo novo, refrescante e, que apesar de buscar diversos conceitos de outras séries de monstros colecionáveis, dessa vez, mais do que nunca, utiliza esses elementos de uma forma que só a Level-5 sabe fazer. É um jogo de personalidade, inteligente, divertidíssimo e feito com muito carinho que merece toda a atenção aqui no ocidente. Embora o público do lado de cá esteja impregnado de um preconceito nojento que atrapalha -E MUITO- a apreciação dos jogos, a série está caminhando e ganhando aos poucos o seu público. Este jogo vai ficar marcado como um dos meus preferidos de todos os tempos, e por mais que isso seja chato, vou bater na mesma tecla sempre: deixe de lado qualquer conceito formado, jogue, aproveite e divirta-se. Yo-kai Watch 2 é um presente. É o melhor jogo de 2016 até agora na minha opinião.


Trailer:


Informações do Game:
Desenvolvedora: Level-5
Distribuidora: Nintendo
Gênero: RPG
Lançamento: 30.09.2016
Nota IGN: 9,3

Informações da ROM:
Original Release: Yo-Kai_Watch_2_Fleshy_Souls_USA_3DS-REEXIT
Região: USA
Idiomas: Inglês
Tamanho: 1.85 GB
Firmware mínima: 11.0
Patch para CFW: CFW Luma, Reinand & Gateway
Patch Region Free: Sim
Patch Online: Não
MEGA Key 1: !40YXX_Mzy5xOytYjdrF-o6whS56OUd2vEF-zr9yrT7M
MEGA Key 2: !WCUvvHclqgDqBteUnROWipjWgbPHgiXXXxIzKxhUF1k
Créditodo do Dump: Billy Halim

Download via [MEGA] links maiores que 
1GB, Click na imagem para saber como 
driblar o limite de banda:






Download MEGA: Parte 01 / Parte 02

Download Google Drive: Parte 01 / Parte 02


Adquira uma conta/Combo nos nossos links, é muito barato!  Melhore a velocidade dos seus downloads e consequentemente vai estar contribuindo com o blog.

                                                           

Contas Premium
Contas Premium
Contas Premium
Contas Premium
Baixou, curtiu, aprendeu, foi legal? Por favor, comente. 
É mínimo que você pode fazer.

Nenhum comentário :

Comentários Publicados